quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Arte Digital

● Sinestesia, 1997, 2007 ALAN VERISSIMO AZAMBUJA e MOACYR DE PAULA RODRIGUES MORENO
Tela de abertura do sequenciador "Uma Experiência Sinestésica" por Alan Verissimo Azambuja (1997), em versão atualizada pelo Prof. Moacyr de Paula Rodrigues Moreno (2007).
Ao associarmos a execução aleatória de tons simples, em padrão rítmico constante, com círculos, também simplificados e de diâmetros variados, procuramos demonstrar, por vivência experimental de caráter subjetivo, um paralelismo entre centros de percepção diferentes nas dimensões tempo e espaço, representados pelos sistemas auditivo e visual. A correspondência vivida pelo espectador entre tons altos (agudos, períodos curtos) e círculos pequenos tem um efeito “de prender a atenção”, ou seja, é experimentado pelo indivíduo como apelo hipnótico. Para quem ouve os sons e assiste às imagens, generaliza-se uma sensação de coerência estética, na qual os tons aparecem amarrados aos círculos, numa correspondência entre forma e freqüência tonal. A partir disto, criamos uma experiência 'sinestésica', ou seja, o indivíduo passa a atribuir aos sons propriedades diferentes da sensação sonora ela própria, vivenciando-as como um ajuste lógico-intuitivo entre sons e formas visuais.




● Temporal geométrico, 2007 MARCOS MONTEIRO FRÓES

A complicadíssima loja óssea do sistema auditivo pode ser entendida por associações com figuras geométricas. Por design gráfico 3D propomos um ‘temporal geométrico’ a partir de placas metálicas de texturas/metais variados, combinando 2 cones, 1 cilindro e 1 pirâmide de 3 faces; associadas adequadamente, permitem a abstração das linhas gerais de construção tridimensional do osso temporal humano. Seus elementos internos relacionados à audição, como as cavidades meáticas e timpânica, seus labirintos ósseos, incluindo a cóclea, e seus ossículos são apresentados por arte conceitual, inseridos dentro das partes correspondentes do osso temporal 'inorgânico'. Esperamos, mediante o uso de recursos da arte conceitual, facilitar a depreensão, por parte do espectador, da localização geral dos segmentos anátomo-funcionais do sistema auditivo incrustados, de forma complexa, no invólucro ósseo do temporal.


● Painel Pavilhões - variações sobre o tema, 2007 MARCOS MONTEIRO FRÓES
Proposto como painel tridimensional, este elemento explora o conceito de variação anatômica apresentando pavilhões significativamente distintos no arranjo de eminências, sulcos e tecido cutâneo, e que dá à orelha externa os aspectos únicos, tão diversos quando comparadas entre diferentes indivíduos. A diversidade anatômica aqui explorada, traduzida em linguagem artística, permite-nos à experimentação estética do rico universo das formas humanas, desta vez ditado por impositivos biológicos. Do grande painel, os pavilhões parecem emergir como figuras tridimensionais, dispostas aleatoriamente, e apresentadas em diversos ângulos.


video


Teaser para o Video Institucional FAPERJ - Ciência e Arte no Caminho do Som, 2008 MARCOS MONTEIRO FRÓES
Vitrine do Projeto "Ciência e Arte no Caminho do Som", este teaser em computação gráfica 2D e 3D foi incorporado aos 3 Vídeos Institucionais FAPERJ 2008. Reúne vários elementos anatômicos e artísticos de nosso acervo, culminando com um "passeio" por animação gráfica digital 3D à partir do poro ósseo do meato acústico externo do osso temporal, chegando à cavidade timpânica.



video


● Video Temporal - 2007 FERNANDO DE LA ROCQUE ‘Um mergulho poético no aparelho auditivo humano. Sabe aquele soninho que você tem a sensação de estar caindo? Mais ou menos isso...’ Produzido em 2007 na CASA56, este vídeo é um pequeno institucional, um teaser para a mostra "Anatomia das Paixões: A Criação do Som". Exibido no aniversário de 17 anos do CEP 20.000. Cromaqui do artista adentrando o osso temporal humano (peça seca), em analogia à caverna de Platão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário